Páginas

domingo, 16 de outubro de 2016

Resenha: Guia de Armadilhas

Um calabouço cheio de perigos mortais!


Guia de Armadilhas é um livro que fornece uma diversidade de desafios para deixar qualquer aventura ainda mais perigosa. Nele você encontra mais de cem armadilhas, das mais simples às mais complexas e mortais. Além disso, você também encontra charadas, enigmas e vários perigos naturais.



Se eu acreditava que os já conhecidos personagens icônicos estavam em uma situação desfavorável na capa no Módulo Básico, aqui temos eles sendo trucidados, e acredite, é exatamente isso que aguarda qualquer personagem de um jogador incauto ou descuidado, um verdadeiro deleite para mestres cruéis. A ilustração, como no Módulo Básico e Bestiário, é um incrível trabalho de Bruno Balixa.

O livro mantém o confortável e prático formato A5, com pouco mais de 140 páginas e tendo seu conteúdo dividido em três capítulos: armadilhas, enigmas e desafios, e perigos naturais. As armadilhas, por sua vez, são divididas em cinco categorias: armadilhas simples, complexas, mágicas, em objetos e falsas armadilhas.

Cada armadilha recebeu uma página todinha para si, onde encontramos a sua descrição, a sua classificação de letalidade (indicadas por caveirinhas, de 1 a 3), o gatilho (o que faz ela ser ativada), seus efeitos, algumas das contramedidas possíveis para se evitar tanto a ativação quanto os seus efeitos e também temos, na maioria dos casos, as variações (algumas mudanças que normalmente incluem uma dose extra de sadismo). Além disso, todas as armadilhas são ilustradas, apesar de simples, elas cumprem bem a sua proposta e função de exemplificar o funcionamento passo a passo de cada armadilha (como um diagrama) e ainda homenagear o clássico citado na nota do editor. De fossos e corredores de pêndulos a salas giratórias e ilusões traiçoeiras, este livro trás diversas armadilhas mortais, bizarras e de engenhosidade um tanto perturbadora.

O capítulo seguinte trás os enigmas e desafios, várias formas interessantes de testar a mente dos jogadores. Nos enigmas, o destaque é o "possível uso", que trás sempre algum sugestão para auxiliar os mestres em como e quanto utilizar cada um deles. Finalizando o capítulo nós temos alguns desafios de taverna (que são bem divertidos) e por último, as charadas.

Por fim, temos os perigos naturais. Recursos que fazem dos cenários algo mais dinâmico e transforma as viagens e jornadas em verdadeiros desafios. Entre estes perigos nós temos dos simples nevoeiro, chuva e areia movediça a desmoronamentos, nevascas e erupções vulcânicas. Eles são apresentados de forma parecida a das armadilhas, temos a classificação de letalidade, descrição, periodicidade, efeitos, contramedidas e, em alguns casos, as variações.

É interessante destacar que apesar de ser um suplemento para Old Dragon, o Guia de Armadilhas pode ser facilmente utilizado em qualquer sistema de fantasia medieval.

Escrito por Rafael Beltrame Igor Sartorato, Guia de Armadilhas foi o primeiro suplemento de Old Dragon publicado pela Redbox (com exceção dos materiais gratuitos). Ele é um livro direto ao que se propõe: um arsenal de perigos e desafios. Além disso, mestres podem encontrar nele uma fonte de inspiração, não apenas para criar seus próprios mecanismos impiedosos e assassinos de personagens, como até masmorras e aventuras.

3 comentários:

  1. Muito bom, encomendei o meu sexta-feira, mal espero por minhas mãos nele! ;)

    ResponderExcluir
  2. A parte dos desafios naturais provavelmente é a que mais gostei no livro. Senti falta desses perigos no módulo básico, onde caberia uma parte de exploração de terrenos ao ar livre.

    ResponderExcluir
  3. Excelente o suplemento, já usei algumas em minha campanha. Os desafios naturais realmente podiam ter feito parte do módulo básico.

    ResponderExcluir

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...